Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar a experiência de navegação.

Consulte nossa nova política de privacidade

Qual o impacto de uma quarentena na saúde mental?

Teoricamente, deveria ser mais um dia “comum” entre você e sua rotina. Acordar, tomar café, assistir ao noticiário antes de sair de casa, ler alguns sites… Até que, do dia para noite, um vírus, que parecia apenas algo normal – e distante, através de noticiários –  interrompe sua vida sem bater na porta impondo padrões como “não saia de casa” ou “não esteja em aglomerações”. Mas, quais os impactos da quarentena na saúde mental? Como amenizar os problemas decorrentes disso? 

O medo do desconhecido e a esperança de melhoras

O que parecia distante por existir apenas em noticiários, agora se faz presente na vida de centenas de pessoas do mundo inteiro através programas na TV, sites e redes sociais, que acompanham detalhadamente cada etapa do vírus, sinalizando regressos, alternativas viáveis e status de evolução. Não importa: para onde você olhar, algo relacionado ao Covid-19 ou crise, provavelmente vai aparecer. Mas como lidar com o excesso de informações? Como elas podem ser úteis ao invés de ativar gatilhos negativos na sua rotina?

Neste cenário, segundo o professor e psicanalista Christian Ingo Lenz Dunker, do instituto de Psicologia da USP, existem possíveis efeitos em dois grupos de pessoas. No primeiro grupo, Dunker fala sobre quem nunca foi ansioso, mas passa a ter ansiedade; quem nunca teve insônia, mas passa a ter dificuldades para dormir, além de apresentar reações como irritação, desorientação ou confusão em relação a atividades e foco.  

No segundo grupo, existem as pessoas cujos efeitos podem ser intensificados quando são relacionados a dificuldades e fragilidades que já eram presentes. Segundo Dunker, para pessoas com transtorno de personalidade, é possível que a quarentena influencie para o sofrimento ou traga um efeito relativamente apaziguador. Já pessoas com fobia social, podem se ver em um ambiente mais protegido e favorável em casa, uma vez que para essas pessoas, era muito difícil sair da cama para se locomover ao trabalho.

Como amenizar os impactos da quarentena na saúde mental?

Existem vários cenários no que se diz respeito ao comportamento humano, principalmente, quando são submetidos a viver em quarentena durante uma pandemia. Mas, como amenizar esses problemas? Preparamos uma lista pautando algumas questões que certamente vão te ajudar a lidar com impactos!

1. Cuidado com o excesso de informações!

Sabemos que é difícil controlar a vontade de se atualizar, mas, esse é um fato absurdamente importante. Ler mensagens no WhatsApp, conversas na mídia entre outras notícias, pode aumentar ainda mais sua ansiedade, por isso, é importante saber filtrar o que é realmente importante e que, certamente, fará diferença no seu dia-a-dia. Defina momentos para se atualizar e selecione as redes, assim, você tem acesso a informações de qualidade e ajuda a frear a propagação de fake news.

2. Criatividade, mais que nunca, é superimportante!

O momento exige a prática de focar em soluções! Entenda situações e procure encarar cada uma delas como desafios a serem superados alinhados a criatividade e, se possível, bom humor. Aproveite o momento para se ouvir e se conhecer melhor. Caso more com outras pessoas, que tal se reunir em busca de soluções para um convívio mais gostoso? Repense rotina e atividades!  

3. Trabalhando em casa, a técnica Pomodoro vai te ajudar! 

Essa é uma ótima maneira de estimular seu foco e criatividade! A cada 25 minutos de foco total para execução de alguma atividade, faça pequenas pausas. Você pode dar uma pequena volta em casa, trabalhar a respiração ou parar para tomar um cafezinho – inclusive, já pensou naquele coffee break virtual com os colegas do trabalho? Através dessa técnica, você faz uma gestão de tempo mais assertiva e consegue estimular sua concentração e foco. 

4. A tecnologia une! Não se isole.

Mesmo que, neste momento, não seja viável encontrar pessoas fisicamente, lembre-se que vivemos na era da tecnologia! Chamadas de vídeos com um ou vários amigos são alternativas possíveis e totalmente viáveis. Fale sobre outros assuntos, reforce que a crise vai ter um final – como qualquer outro episódio dramático que a sociedade tenha visto – e faça planos para quando essa crise chegar ao fim. 

5. Seja gentil consigo mesmo

Em meio a crise, existem centenas de alternativas surgindo. O mercado digital em tempos de COVID-19 está se reinventando! São novos e-books, lives entre outras centenas de materiais criados para este momento. Assim como surgem conteúdos, existem pessoas falando sobre suas novas rotinas com estudos e atividades, mas você não precisa ler tudo ou seguir 100% esse exemplo. Ter autocompaixão como sua aliada nesse momento, é precioso. Não exija demais de si, entenda suas necessidades e aceite a particularidades do momento, entendendo que todos têm dificuldades e estão aprendendo a lidar com elas, assim como você. Aproveite para oferecer ajuda e pedir ajuda, se necessário. 

6. Busque o equilíbrio mental.

O exercício da meditação tem resultados incríveis. Trabalhar a respiração tem como benefícios acalmar a mente, corpo, além de diminuir a ansiedade e ajudar a controlar o estresse. Inspire profunda e lentamente, solte o ar devagar pelo nariz… Repita esse procedimento 10 vezes ao acordar e durante as pausas onde sentir a necessidade de se acalmar ou trabalhar a concentração. 

7. Existem profissionais disponíveis para você: busque ajuda!

Ter que lidar com as variações de emoções durante a crise pode ser difícil e exigir a ajuda de um profissional. O psicólogo é o profissional que, certamente, oferece uma escuta e trabalho qualificado nesse sentido. O Conselho Regional de Psicologia autorizou o tratamento psicológico online para ajudar na busca do equilíbrio mental, por isso, existem alternativas para atuar de maneira individual ou familiar, através de iniciativas com vídeo, e-mail ou chats, que asseguram a ética e o sigilo desses profissionais em relação as informações obtidas sobre os pacientes.

Otimismo, sempre!

Não sabemos quando essa pandemia vai chegar ao fim, mas, sabemos que esse final vai chegar. É importante reunir alicerces que reforcem essa ideologia e que ajudem a diminuir os impactos da quarentena na saúde mental, deste modo, vamos encontrar saídas que nos permitam ser vitoriosos no final disso tudo, além de reforçar a ideia de que, certamente, vamos poder contar a história de termos sobrevivido a crise do coronavírus (Covid-19), em 2020.

contato

Quer dar um twist no seu negócio? Entre em contato e a gente se encarrega de apresentar o projeto ideal para sua marca!