Você sabe qual caminho o seu medicamento percorre até o revendedor ou até o cliente final sem se perder em nenhuma etapa do processo ou submeter o seu medicamento a algum risco? Sabia que existe uma lei que pode ajudar seu negócio a identificar qual caminho é esse, garantindo a segurança dos seus medicamentos? Conheça a norma SNCM!

Desafios do mercado farmacêutico no Brasil e no mundo

O mercado farmacêutico brasileiro deve movimentar entre US$ 38 bilhões e US$ 43 bilhões em 2023 segundo dados divulgados pela Interfarma (Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa) em um estudo divulgado no Guia 2019. Apesar do constante crescimento do mercado de medicamentos, existem impactos que atingem a um nível global quando o assunto é a cadeia logística que ele percorre e a forma que os medicamentos chegam para os clientes finais ou farmacêuticas.

De um lado, a indústria de medicamentos enfrenta um mercado ilegal que afeta membros da cadeia logística e farmacêuticas, com um prejuízos financeiros que beiram US$ 5 milhões através do contrabando e, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o mercado de medicamentos falsos movimenta mais de U$ 200 bilhões por ano. A população, no geral, também sofre impactos diretamente relacionados, afinal, ela entra em contato com produtos inseguros que percorrem um trajeto a base de impostos e outras regulações que afetam, direta e principalmente, os cofres públicos. Do outro lado, governos ao redor do mundo estão desenvolvendo iniciativas regulatórias com o objetivo de identificar as falhas da cadeia logística e distribuição que dão margem para a atuação de criminosos.

Qual a alternativa criada para driblar o contrabando e a ligação com a norma SNCM?

Em 2009 a lei 11.903 criou o Sistema Nacional de Controle de Medicamentos (SNCM) que é coordenado e fiscalizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Essa lei passou a exigir a implementação da rastreabilidade dos medicamentos em todo o processo da cadeia de distribuição e abastecimento em empresas farmacêuticas e foi em 2017 que surgiram as regulamentações finais para serem implementadas ao SNCM. Através desse sistema, a ANVISA consegue monitorar a procedência, comercialização, administração e distribuição dos medicamentos, entre outras condições possíveis graças à essa lei, que influencia diretamente para evitar o comércio de produtos sem registros, extraviados ou roubados. O prazo final para a indústria farmacêutica se adequar à legislação vigente sobre a norma SNCM e ter todos os seus produtos com o serviço de serialização é até abril de 2022.

RFXCEL e a Zíriga

rfxcel  é parte da solução contra o contrabando de equipamentos. Atuando como empresa pioneira em tecnologia para o aumento da visibilidade da cadeia de suprimentos, a empresa é um fornecedor de software de rastreamento com iniciativas de ponta para ajudar as organizações a rastrear seus medicamentos em cada ponto da sua cadeia logística. Com uma equipe disponível para atender especificamente às necessidades de cada cliente, todas as etapas do projeto de distribuição são acompanhadas: fabricação, distribuição e dispensador. Atuando a 15 anos no mercado, a empresa ajuda fabricantes, atacadistas e distribuidores com soluções completas quando assunto é rastreabilidade de medicamentos e influencia, diretamente, na redução dos custos da cadeia de suprimentos de seus clientes. 

Em busca de alavancar o potencial de mercado da solução rfxcel, a Agência Zíriga abraçou este desafio: posicionar a empresa como pioneira no Brasil quando o assunto é rastreabilidade de medicamentos. A estratégia consiste no posicionamento online da empresa, atuando em mídias sociais que representem seu potencial de mercado, se mostrando a solução ideal quando o assunto é estar alinhado com a norma SNCM.

Precisa de orientação para posicionar seu negócio e não sabe por onde começar? Entre contato conosco para esclarecer suas dúvidas e não perca a oportunidade de alavancar sua marca através do Marketing Digital com um time completamente dedicado à você.